gazeta2.jpg (8041 bytes)

Energia anímica

Heloísa Ferreira da Costa

A vida material é tão envolvente que mesmo aqueles que dedicam uma hora de seus dias aos estudos referentes à espiritualidade estão sujeitos a sofrer abalos e quebra de energia.

A energia anímica, como o próprio nome diz, é aquela energia que dá ânimo ao indivíduo, aquela que nos faz trabalhar, lutar em nosso dia-a-dia, aquela que faz com que nos sintamos bem conosco e com o mundo que nos cerca.

Quando sofremos a interferência das frustraçôes materiais, essa energia torna-se fraca, trazendo desânimo geral, como se tudo estivesse fora do lugar, e o ser sente uma falta de objetivos e ideais; nesses momentos, rompe-se a integridade de nossa camada energética como se fosse o buraco da camada de ozônio, e sentimos um enfraquecimento sem explicação.

Os estudiosos do Racionalismo Cristão sabem que as interferências do astral inferior podem agravar este estado de ânimo, levando à depressâo e à obsessâo, e, se não descobertas, causam um mal difícil de ser debelado, porque se instalam e a pessoa fica alvo de espíritos que só perturbam, fazendo com que simples problemas do cotidiano tomem vulto enorme pela visão deturpada. Alguns menos avisados se sentem protegidos, esquecem-se de que não existem proteções neste plano Terra; nossa única proteção é o esclarecimento, o raciocínio que nos fará ver o que está acontecendo e, com muita força de vontade, lutar contra essas situações.

O que faz um time de futebol ou de qualquer outro esporte ter sucesso, muitas vezes, é uma torcida eficiente. O que precisamos fazer é exatamente isto, torcer por nós mesmos, ter ânimo renovado todos os dias, com palavras de incentivo dirigidas a nós. Talvez possa parecer estranho no início, porém mais estranho é o ser torcer contra si próprio, dizendo coisas como "Hoje será um dia daqueles...", "Este problema não tem solução...", "Nada dá certo na minha vida...", e coisas do gênero, que repetimos com freqüência e, ao fazer isso, gravamos no nosso subconsciente mensagens negativas que funcionam como uma torcida contrária aos nossos propósitos.

O problema principal é o reconhecimento desses estados. Muitas vezes, nem nos damos conta do que está acontecendo, vamos nos entregando como se nada mais valesse a pena, sem objetivos claros, e as intuições vão tomando conta, os dias transformam-se em semanas, meses, anos e, quando acordamos, pode ser tarde demais.

É importante uma auto-análise diária para saber se internamente está tudo bem. Quando constatar alguma falha, é necessário fazer ajustes rápidos para que a situação não se agrave; se for possivel conversar com alguém querido que possa ajudar, tanto melhor. Ouça com atenção, geralmente pessoas que nos amam só querem nosso bem; mesmo se uma realidade dolorosa for colocada à mostra, aceite com resignação e, apoiado pelos sentimentos bons, lute contra o estado negativo; não se entregue em mãos perigosas e ardilosas, pois as interferências inferiores no início são amigáveis, até tomarem completamente aquele ser desavisado e destruir uma vida próspera.

A auto-estima é muito importante, é preciso gostar de si mesmo para poder reconhecer que algo não está bem, e animar-se todos os dias, mesmo nos dias de grandes depressões. É necessário também irradiar, freqüentar escolas espiritualistas para que, aos poucos, possamos compreender que toda ajuda está única e exclusivamente dentro de nós mesmos. Não espere em vão por uma ajuda externa que nunca virá, ajude a si mesmo, lute, resista e evolua!

Heloísa Ferreira da Costa (Militante da Filial de Marília, SP)

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo