gazeta2.jpg (8041 bytes)

Viver ou sobreviver

Aquiles Moisés dos Santos

Conta-se que um grande mestre sábio foi chamado para assistir a um homem importante que estava morrendo. Ao chegar ao lado de sua cabeceira, o mestre perguntou carinhosamente:

— Como estás?, no que o homem respondeu:

— Não está vendo, mestre? estou morrendo!

— Não, não vais morrer ainda, afirmou o sábio com segurança.

— Como não vou morrer? É claro que vou morrer; os médicos disseram que não tenho mais que algumas horas de vida; o senhor pode entender de muita coisa, mas de morte parece que nada entende, pois estou certo que estou nas últimas.

Serenamente o mestre disse:

—Não vais morrer, meu amigo. Sabes por quê? Porque não viveste. De que forma alguém que não viveu pode morrer? Tu passaste a vida fingindo sentimentos que não eram verdadeiros. Mentiste, falsificaste, enganaste, driblaste os confrontos contigo mesmo, adiaste indefinidamente as decisões dolorosas que tinham de ser tomadas, viveste como se estivesses num palco todo o tempo, e nem com a família foste capaz de tirar a máscara. Te apegaste de tal forma aos teus papéis, que agora nem sabes mesmo quem és. Aprendeste a arte de manejar as palavras e assim venceste todas as discussões, mesmo sabendo estar errado. Na verdade, não fizeste a lição de casa. Deverias ter seguido o exemplo de teu próprio Mestre que, em vez de fugir dos seus demônios, foi para o deserto – o máximo da solidão e do despojamento – onde iria travar a batalha decisiva contra o Mal. Jesus não fugiu, porque sabia não haver para onde, como dizem, "você pode correr, mas não pode se esconder".

Ao ouvir tudo isso, o homem fechou os olhos e duas lágrimas escorreram sobre suas faces. Em pouco tempo uma serenidade inédita resplandeceu em seu rosto.

— Ah, agora sim, compreendeste. Estás pronto. Podes morrer de verdade e em paz.

Uma morte que deixa para trás fortes passivos não é uma morte plena, não liberta, não propicia o início de um novo estágio, ao contrário, inaugura uma fase a que algumas religiões chamam de inferno. Mas ninguém realmente vai para o inferno, se já não está nele antes de morrer, pois inferno e céu não são lugares, não existem. São, sim, estados do ser.

E você, vive ou sobrevive?

Aquiles Moisés dos Santos, Belo Horizonte, MG - 23/09/2003)

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo