gazeta2.jpg (8041 bytes)

A outra janela

Colaboração de Aquiles Moisés dos Santos

Debruçada na janela, a menina trazia os olhos cheios de lágrimas pelo sentimento de dor causado pela morte de seu cão de estimação. Observava triste o jardineiro enterrando seu amigo de tantas brincadeiras. Era como se sua felicidade estivesse sendo enterrada também. Seu avô, que observava a cena, aproximou-se e envolveu a neta em um abraço amigo e disse-lhe com carinho:

¾ Triste cena, não é verdade?

As lágrimas continuaram a cair dos olhos da menina. Seu avô desviou a atenção da neta para outra realidade. Tomou-lhe a mão e a conduziu para uma janela oposta em uma ampla sala. Abriu as cortinas e fez com que a menina visse o jardim florido à sua frente e lhe perguntou carinhosamente:

¾ Vê aquele pé de rosas amarelas bem ali em frente? Lembra que você me ajudou a plantá-lo? Era apenas um pequeno galho cheio de espinhos e hoje veja como está lindo, carregado de flores perfumadas e botões com promessa de novas rosas.

A menina enxugou as lágrimas que estavam em sua face e deu um largo sorriso mostrando as abelhas que pousavam sobre as flores e as borboletas que faziam a festa entre uma e outras das tantas rosas de variados matizes que enfeitavam o jardim.

O avô, muito feliz por ter ajudado a neta a superar o momento de dor, falou docemente:

¾ Veja, filha, como a vida nos oferece várias janelas. Quando a paisagem de uma delas nos causa tristeza sem que possamos alterar o quadro, voltamo-nos para outra e sempre nos deparamos com uma paisagem diferente.

A vida é assim. Muitos momentos de nossa existência nos dão oportunidades de aprendizado e nos mostram que não vale a pena sofrer diante dos quadros que não podemos alterar. Essas experiências são valiosas e devemos tirar lições oportunas sem nos deixar tragar pelo desespero e revolta que só infelicitam a nossa vida.

Se o leitor está a observar um quadro desolador, lembre-se de que existem tantas outras janelas com paisagens repletas de promessas de melhores dias. Abandone a janela da dor, aproveite a lição e siga em frente com ânimo e disposição.

Aquiles Moisés dos Santos, Buritis, Belo Horizonte, 14 de março de 2002

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo