Viver, ensinar e aprender

Domingos Sávio, Pedro Pomin Neto e Eliane Ramos

Viver é uma arte que nem todos sabem cultivar. Há muita gente que pensa que vive, mas não vive, vegeta, ou pior ainda, não tem noção alguma do que seja viver. A criatura que sabe viver traça, planeja aquilo que melhor lhe convém e caminha confiante em si mesma, sem esperar dos outros senão o razoável, porque se exigir um pouco mais passa por decepções. Logo, só confiante em si próprio o homem pode vencer na luta. Clássicos do Racionalismo Cristão, Luiz de Mattos, p. 13.

Somente desta forma, traçando, planejando, plantando, colhendo, estudando, irradiando, refletindo e raciocinando a criatura consegue viver, ensinar e aprender. Nos lares, principalmente!

Quando todos os familiares são estudiosos da disciplina racionalista cristã irradiando e estudando os princípios explanados por nossa doutrina mãe, recebem as efluviações das Forças Superiores e assim, todos se compreendem se respeitam, se amam.

Mas raramente todos, em uma mesma família, são estudiosos dos princípios racionais e científicos cristãos, pois cada espírito tem sua evolução, sua trajetória evolutiva a cumprir aqui neste Mundo.

Ser racionalista cristão é respeitar o livre-arbítrio de todos, por isso é possível viver muito bem em um lar onde apenas um seja praticante da disciplina, bastando que haja o respeito uns pelos outros.

Quando a criatura é esclarecida espiritualmente, torna-se branda, afável, amena, sabe compreender situações que não podem ser revertidas naquele momento e se coloca sempre com elegância e sabedoria diante dos reveses da vida e assim tem o senso da realidade e responsabilidade bem mais acentuado e com isso se torna o exemplo a ser seguido, dando o seu melhor, demonstrando em atos e ações tudo que aprende dentro de uma casa racionalista cristã, podendo assim viver bem ao lado de toda família independente de serem ou não estudiosos da mesma disciplina.

O Racionalismo Cristão não busca adeptos, não se interessa em que as criaturas abandonem essa ou aquela religião mas, sim, tem por finalidade esclarecer as criaturas encarnadas. Para que as mesmas possam se esclarecer, precisam partir de algum princípio, e estes princípios podem ser eu, você, cada um de nós através de nossos exemplos, inicialmente, dentro de nossos lares.

Chegará o dia em que todas as criaturas terão em mãos uma das obras esclarecedoras editadas pelo Racionalismo Cristão!

E neste dia a vida, que é um contínuo crescimento, principalmente espiritual, se tornará muito mais fácil e agradável de viver a todos.

Diz um ditado muito verdadeiro: "A boca diz aquilo que o espírito está transbordando". Por isso, um racionalista cristão jamais profere palavras ofensivas e de baixo calão, jamais é agressivo, não profere mentiras nem calúnias contra terceiros. Não deseja mal a seu semelhante e prefere nem saber quando alguém lhe faz algum mal para evitar o retorno negativo.

Cuida-se, pois sabe que o que plantar irá colher e que os olhos de todos os mal intencionados e mal assistidos pelo astral inferior estarão voltados unicamente para os racionalistas cristãos como se esperasse um erro para culpar, não a eles, mas à Doutrina.

E quando nos descuidamos, é natural ouvirmos sempre aquela frase irônica, "é isso ou aquilo que você aprende lá?". Ficando assim, a doutrina racionalista cristã mal vista, por conta do comportamento desacertado de certas criaturas.

Isso acontece quando a criatura se descuida e permite tornar-se joguete nas mãos dos inferiores que estão sempre tentando jogar uns contra os outros criando inimizades e sentimentos inferiores, nutrindo inimizades, vendo o que há de pior em seus semelhantes, se esquecendo de que todos têm seu lado bom, e é para este lado bom que devemos olhar sempre procurando elevar os ensinamentos da doutrina racionalista cristã através de nosso exemplo de vida.

Devemos estar sempre atentos aos mínimos detalhes, irradiando com convicção em nossos lares, com o pensamento elevado às Forças Superiores a fim de afastarmos todas as regências negativas e, depois de irradiarmos, manter nossos espíritos brandos, controlando nossos ímpetos e disciplinando nossos instintos. Pode não ser fácil, mas é possível!

Uma boa forma de fazer com que nossos familiares descubram por que somos diferentes é, também, presenteando-os com um livro de nossa doutrina. Se houver resistência, deixe o livro que está lendo na cabeceira da cama ou na mesinha da sala onde desperte a curiosidade. Na sua ausência, alguém pegará e lerá justamente o que precisa ler, disso temos certeza, nem que seja por curiosidade, mas, muitos chegaram a uma casa racionalista cristã por curiosidade também, e hoje são membros, militantes e até presidentes!

Lendo um pedacinho hoje e outro amanhã, a criatura perceberá as verdades que começarão a lhe abrir a mente, e ela passará do estado de ilusão para o da realidade sem nem mesmo perceber.

O sofrimento causado pelos erros, conseqüência do mau uso do livre- arbítrio, tende a diminuir à medida que a criatura se esclarece espiritualmente, que ela estuda, pois através de seus estudos torna-se possível a criatura se conhecer como força e matéria, e assim consegue controlar melhor seus ímpetos e passa a fazer para o bem o uso de seu livre-arbítrio, e desta forma o mundo se tornará mais agradável de viver, quando todos aprenderem a se olhar com olhos de respeito, de amor, de solidariedade.

Tornando-se assim, todos, muito mais fortes e preparados para suportar os reveses da vida, que não são poucos.

O espírito jamais se deverá deixar abater diante de um revés, porque tudo passa na vida. E aderimos à realidade espiritual ainda em nossos mundos de estágio para vivenciá-la e divulgá-la aqui no mundo-escola, nos apresentando afetivos com todos, pois temos a necessidade de viver para evoluir e admirar, amar, respeitar nossos semelhantes, atitudes estas essenciais à evolução espiritual.

A plenitude da vida espiritual se faz presente para todos aqueles que estudam a disciplina racionalista cristã e a vivencia em seu lar, em seu dia a dia!

Dezembro 2009

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo