Teste de conhecimentos da doutrina racionalista cristã

100. Ainda sobre o corpo astral

Nessas breves considerações, vamos nos apoiar no que ensina o Racionalismo Cristão, ver o que podemos inferir dos ensinamentos e o que podemos especular com base na intuição e na razão. Veremos que algumas comparações com o corpo físico podem nos ajudar em nossos esforços para entender o corpo astral e suas propriedades.

A doutrina racionalista cristã nos diz que o corpo astral é material, feito de matéria fluídica originária do mundo espiritual a que pertence o espírito associado a esse corpo. Essa matéria não tem a mesma estrutura da matéria do mundo Terra que é utilizada para compor o corpo físico de que se utiliza o espírito para sua encarnação.

Em cada mundo a matéria fluídica é menos densa que nos mundos abaixo dele. À medida que o espírito evolui, ele vai ascendendo a mundos superiores onde a matéria fluídica é mais diáfana, mais transparente. Portanto, seu corpo astral vai se tornando cada vez menos denso. Podemos chamar esse processo de "evolução"? Em outras palavras, podemos dizer que o corpo astral evolui porque vai se constituindo de matéria cada vez menos densa? Continuemos.

Durante a vida terrena do espírito, seu corpo físico também se transforma. A matéria que o compõe é continuamente substituída por outra. Células morrem e outras tomam o seu lugar. O corpo humano estaria evoluindo? Ou simplesmente se transformando? Para poder responder, precisamos entender o que significam evoluir e transformar.

Evolução implica em enriquecimento de atributos. Espíritos com menos atributos são menos evoluídos do que aqueles com mais atributos. E quais são os atributos da matéria? Apenas um, que é a inércia. Isto significa que a matéria, por si mesma, não pode se mover, não pode se transformar, não pode fazer nada. Para que haja movimento, transformação e outros efeitos, é necessária a ação de forças. Estas, sim, ricas de atributos intrínsecos. Matéria não pode conquistar atributos. Pode, sim, existir com maior ou menor densidade. Considere, este exemplo no plano físico, a água. Ela pode existir com densidades diferentes. Sob certas condições uma quantidade de água pode se transformar em gelo, ou evaporar. Quando isso acontece, ela passou por uma transformação. Mas no estado sólido (gelo) ou gasoso (vapor) temos sempre intrinsecamente água, nem mais nem menos evoluída. De modo similar, a matéria fluídica menos densa de mundos superiores não é mais evoluída do que aquela dos mundos mais inferiores.

Matéria não evolui. Portanto, por ser material, o corpo astral também não evolui, mas a matéria que o compõe pode ser substituída por outra, como de fato o é à medida que o espírito evolui para classes mais elevadas. Então podemos perguntar: Como o corpo astral de um espírito é substituído por outro à medida que ele, o espírito, evolui? Certamente não será bruscamente, de supetão, pois a natureza não dá saltos.

O corpo humano do adulto não é o mesmo da criança. A matéria que o compõe não é mais a mesma que compunha o corpo da criança. Toda ela foi substituída, paulatina e continuamente. O corpo da criança não foi, de repente, descartado e substituído por um corpo de adulto. Da mesma forma, a matéria que compõe o corpo astral de um espírito, encarnado ou não, vai sendo substituída pouco a pouco por outra menos densa, à medida que o espírito evolui. Seu corpo astral anterior não é descartado e ele passa a atuar sobre um corpo renovado. Nessa renovação, as impressões gravadas na matéria do corpo astral vão sendo transferidas para a nova matéria. Processo semelhante ocorre com as mudanças no corpo físico. Durante a substituição das células mortas por outras, formando um novo corpo, as informações 'gravadas' no corpo físico, como lesões permanentes, sinais de nascença e outras, são transferidas para o novo corpo.

Como toda matéria, o corpo astral é plasmável. Isto significa que pode assumir a forma que lhe impõe a ação de uma força. Portanto, o corpo astral não tem, necessariamente, a forma do corpo humano. O corpo astral de um espírito do astral inferior tem, em geral, a forma de uma bola negra. Um espírito pode dar ao seu corpo astral (pois é uma força) a forma que sua vontade e imaginação determinarem. Os espíritos do astral inferior geralmente imprimem ao seu corpo astral formas horrendas para assustar médiuns videntes ou outras formas para enganá-los e avassalá-los.

Uma leitura cuidadosa deste texto revela veredas ainda a serem exploradas. Quem se anima a apresentar sugestões?

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo