Teste de conhecimentos da doutrina racionalista cristã

89. O que faz com que as irradiações A e B constituam a base da limpeza psíquica?

Como muitos apontaram, é importante darmos atenção às palavras que proferimos. Pois as irradiações para a limpeza psíquica estão baseadas nessas palavras.

Assim, para bem refletirmos sobre o que as irradiações A e B focalizam, tornando-as uma base segura para fazermos a limpeza psíquica, devemos voltar nossa atenção aos textos, às palavras que os compõem.

Observando com atenção essas palavras, não podemos deixar de perceber que elas constituem um conjunto de afirmações que fazemos e, portanto, devemos saber, devemos ter bem claro na mente o que estamos afirmando.

Vemos que, falando ou pensando as palavras dos textos, nós afirmamos, repetidamente, uma porção de ideias, que passaremos a examinar a seguir.

A - na irradiação A

"Ao Astral Superior Grande Foco! Força Criadora! Nós sabemos que as leis que regem o Universo são naturais e imutáveis, e a elas tudo está sujeito. Sabemos também que é pelo estudo, raciocínio e crescimento, derivado da luta contra os maus hábitos e as imperfeições, que o espírito se esclarece e alcança maior evolução. Certos do que nos cabe fazer, e pondo em ação o nosso livre-arbítrio para o bem, irradiamos pensamentos aos Espíritos Superiores para que eles nos envolvam na sua luz e fluidos, fortificando-nos para o cumprimento dos nossos deveres."

Eis, a seguir, o que afirmamos, pois somos nós que estamos irradiando, certo?

A) irradiamos pensamentos a planos superiores, dirigindo-os ao Astral Superior: por isso precisamos ficar atentos para ver se é isso mesmo que estamos fazendo, isto é, para onde estamos dirigindo as vibrações de nosso espírito;

b) dizemos, também, que sabemos "que as leis que regem a natureza são naturais e imutáveis": mas será que conhecemos mesmo essas leis?

C) afirmamos que é "pelo estudo, raciocínio e crescimento derivado da luta contra os maus hábitos e as imperfeições...": assim falando, estamos dizendo, convictamente, que sabemos que precisamos raciocinar, estudar etc.; será que estamos realmente fazendo isso? Estamos estudando, raciocinando e lutando contra nossos maus hábitos? Ou só repetindo palavras vazias?

D) afirmamos ainda que estamos "certos do que nos cabe fazer": estaremos tão certos assim? E, afinal, o que nos cabe fazer?

E) e "pondo em ação o nosso livre-arbítrio para o bem": vejam bem: estamos nos comprometendo a colocar em ação nosso livre-arbítrio para o bem; será que as palavras correspondem à realidade de nosso viver? Ou serão palavras "só da boca para fora"?

F) nas palavras finais, dizemos que, colocando-nos em contato com planos superiores, esperamos receber luz e fluidos benéficos, que nos fortificam. Com que fim queremos ficar mais iluminados e mais fortes? Nós dizemos bem claramente que é para bem cumprirmos com nossos deveres. Quais são eles? Será que nossa mente está realmente voltada para o desejo de nos fortalecermos para enfrentarmos nossas obrigações, cumprirmos nossos deveres?

Ainda afirmamos, também de forma repetida, como se fosse para tomar total conta do que estamos dizendo:

B - na irradiação B:

"Grande Foco! Vida do Universo! Aqui estamos a irradiar pensamentos às Forças Superiores para que a luz se faça em nosso espírito, e tenhamos consciência de nossos erros, a fim de evitá-los e nos fortalecer para praticar o bem."

A) mais uma vez, afirmamos que estamos dirigindo nossos pensamentos ao Grande Foco, isto é, a planos superiores: precisamos estar seguros de que é isso mesmo que estamos fazendo;

b) novamente, expressamos o desejo de nosso espírito consiga ver com clareza ("que a luz se faça em nosso espírito") com um objetivo bem definido: a de conhecer nossos erros; e para que isso? Também com uma finalidade bem definida: a de evitá-los.

C) ao mesmo tempo, desejamos nos fortalecer, também com uma finalidade bem clara: "para praticar o bem".

Em resumo: as irradiações são um compromisso moral que estamos reafirmando a cada vez que repetimos as palavras que as compõem; um compromisso que estamos assumindo com nossa própria consciência.

Estaremos, sempre que irradiamos, com o sentido ligado a esse compromisso que, voltamos a dizer, afirmamos repetidamente?

Afinal, nós irradiamos para tomar consciência, diariamente, desse compromisso que estamos assumindo. E dizemos claramente que é isso que estamos fazendo. E é para cumprir tal compromisso, certo? Ou as irradiações não passarão de rezas automatizadas, que tanto orgulho temos de dizer que não adotamos.

Se, a cada irradiação feita, tivermos plena consciência do que estamos irradiando, não tenham dúvida de que estaremos irradiando corretamente.

O que faz com que aqueles minutos constituam a base para a limpeza psíquica, é a atenção que damos ao sentido das palavras. É o compromisso que assumimos com o firme propósito de cumpri-lo. Se assim não agirmos, estaremos enganando a nós mesmos.

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo