gazeta2.jpg (8041 bytes)

Seja grato à vida!

Adelina Bermudez Gonzalez e Ana Paula Oliveira

Para que a Luz se faça no espírito encarnado, para que ela irradie, para que ela dê coragem, lucidez e valor, é preciso ter convicção para saber fazer essa Luz. Não basta desejar, é preciso saber querer. Os espíritos não protegem. Eles irradiam valor. É preciso saber viver com desprendimento e caminhar com segurança. Se há coisas parecendo impossíveis de serem vencidas, é porque o raciocínio ainda não despertou. Quando a criatura tem saúde, trabalha com satisfação, é feliz porque nada teme, sabe dar soluções a todos os problemas. Maria Thomazia (Para quando os reveses chegarem, Fernando Faria. Capítulo 6.)

Tudo na vida tem um propósito bem afirmado e nada acontece por acaso. E como princípio de tudo, à vida devemos estar gratos, e em todos os dias engrandecê-la e aprimorá-la.

O ser humano veio ao mundo para enfrentar lutas e sair delas vitorioso. É através da luta pela vida honrada e honesta que a pessoa enobrece o seu caráter e a sua compostura moral. Todos os sofrimentos, dissabores ou decepções surgem, a maior parte das vezes, para a evolução espiritual, desde que não resultem do mau uso do livre-arbítrio. E é através desse confronto, sem se deixar abater, enfrentando as agruras da vida, que ele supera a própria vida, adquirindo a força e a confiança capazes de direcioná-lo num caminho mais iluminado.

Feliz da pessoa que consegue entender que a força maior está em si mesma, dentro de si, como partícula da Inteligência Universal que é. Não precisa mendigar, deve, sim, esforçar-se em lutar, porque o triunfo na vida depende do empenho, da coragem, da persistência e da dedicação que o espírito, que é luz e inteligência, imprime no próprio corpo físico abastecendo-o e carregando-o com a força positiva. Esta força positiva aumenta a intuição, que através do pensamento bem orientado, determina um caminho seguro.

Jamais o ser poderá alcançar a tranqüilidade se não encaminhar seus pensamentos no sentido do bem, pois só assim poderá receber as intuições do Astral Superior.

O Universo conspira a nosso favor quando nos colocamos nesta posição, e dele retiramos muita força e sentido para enfrentar qualquer situação sofredora.

Quando falamos em vida e temos consciência que esta corresponde a um curto lapso de tempo, no meio terreno, lembramos também que somos um espírito.

Somos um simples composto de Força e Matéria e nesta síntese encontramos a explicação total da vida e da morte.

A vida e a morte são duas melodias e entre elas está o amor. O amor tem o simples poder de abraçar estas duas melodias. Por isso é que temos medo de amar e o encontro do amor é difícil. O amor implica "sofrimento" ou a "própria morte" no sentido de renúncia, é como se estivéssemos a crucificar a nossa inferioridade do egoísmo, para apenas elevar e valorizar a nossa pura essência. Entender esta harmonia que existe entre a vida e a morte é deixar de ter presente o conflito. Almas como a de Jesus foram capazes de chegar até aqui, ainda como ser humano.

A vida é uma melodia rica de compassos e encantadora se for bem tocada. Todos os instrumentos usados devem estar em sintonia. Mas sendo nós a tocá-los exige que nossa consciência esteja integrada e cristalina, e só assim é realmente uma encantadora sinfonia.

A vida é um privilégio infinito e de gratidão imensa. É uma celebração, um fluxo constante de renovação e frescor. Sentir gratidão pela vida é preencher em nossa alma o elevado e profundo sentido de tudo, do passado e do presente, sentir alegria por ter ultrapassado dificuldades que hoje nos fazem sorrir, ao lembrar vivências e experiências que nos fortificaram e nos fizerem crescer e evoluir.

A vida exige responsabilidade e grandeza e é aqui que encontramos o real valor e o significado de toda a transformação que a vida exige e também o motivo por que nem sempre a vida é tão bonita como desejaríamos. Saber compreender esse privilégio e mesmo assim viver com a sabedoria que ela merece.

A vida física é uma grande oportunidade ao espírito para evoluir e devemos estar eternamente gratos pelo dom maior que é a própria vida, e pela oportunidade de viver. É nosso dever colori-la dia a dia, sempre alcançando o nosso equilíbrio.

Cada ser tem a possibilidade de criar a sua própria existência. Foi-lhe concedido o atributo de liberdade de expressão e de criatividade.

Os ingredientes essenciais são-lhe oferecidos para que possa convertê-los em ações positivas, tornando-se, assim, um criador em pleno direito a participar do evento vida – Força Criadora. A vida só tem significado se conseguirmos transformá-la em amor puro, numa fragrância eterna e imortal.

Dezembro 2008

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo