gazeta2.jpg (8041 bytes)

Para encontrar a paz espiritual

Gilnei Castro Müller

Para que o homem, como criatura humana e racional que é, possa cultivar a amizade e encontrar a verdadeira paz espiritual que tanto almeja nesta trajetória terrena é preciso antes de tudo modificar o seu "Eu", seu íntimo ainda guerreiro e vingativo, trocando-o por um conjunto de atributos positivos de ordem espiritual, alicerçados em uma moral verdadeiramente cristã, onde cada um tenha a noção de saber respeitar o seu semelhante como se seu irmão fosse, sem nunca desejar ou querer para os outros aquilo que jamais iria querer para si próprio.

Essa paz espiritual tão almejada e desejada pelas criaturas de bem não poderá se tornar realidade enquanto existirem governos arbitrários e prepotentes que se preocupem apenas com a exploração das riquezas terrenas que não lhes pertencem, com a única finalidade de satisfazer os seus caprichos e idéias aparentemente sociais e democráticas. Todos os regimes ou procedimentos de sentido político ou religioso que são impostos através da força por intermédio de guerras e revoluções, um dia cairão por terra, a própria História tem nos demonstrado isto, pois o despertar verdadeiro e sincero das criaturas livres e pensantes vem de dentro para fora. Ele é individual, cada um o busca e perssegue continuamente para o seu progresso, mesmo com muita luta, lentamente, através do seu esforço, da sua dedicação própria e da sua força de vontade direcionada firmemente para um ideal nobre e superior. Todo procedimento imposto à força nas criaturas pensantes que já sabem usar a sua razão é de nulo valor perante o seu esclarecimento espiritual íntimo, normal e verdadeiro.

Infelizmente ainda estaremos longe da paz e da tranquilidade de espírito, enquanto os exércitos dos países mais poderosos se procuparem somente em combater as consequências e não as causas reais dos ataques "terroristas" que nos últimos anos tem vindo à tona em tantos lugares diferentes, julgados intocáveis, do nosso conturbado ambiente terreno. Jamais se irá terminar o terrorismo agindo com mais terrorismo e vingança, destruindo lares e famílias inteiras de criaturas inocentes. Enquanto grupos de determinados países julgando-se superiores e donos do "destino" dos demais, se reunirem para decidir como irão se conduzir os mais pobres de riquezas materiais segundo suas decisões arbitrárias, estaremos muito afastados de uma verdadeira união e compreensão fraterna de sentido universal entre os povos que compõe a atual humanidade.

Portanto, somente estaremos convivendo em um ambiente de verdadeira paz espiritual aqui no plano terreno, quando desaparecerem as fronteiras internacionais entre os países, quando não se preocuparem em construir novos muros divisórios, quando em vez de pensar em guerras procurarem destruir seus arsenais atômicos junto com as armas de destruição em massa e se unir para um trabalho conjunto e construtivo realizado com amor e dedicação, e os povos das mais diferentes raças conseguirem deixar as diferenças com todas as maldades para trás e se abraçar e dar as mãos fraternalmente como verdadeiros irmãos que somos em essência espiritual.

Abril de 2007

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo