O fator tempo

Ely Ramos, Adriana Mara, Maria Cristina Silva Pereira, Carlota Pires e Antônio Gurjão Praxedes

Para a Inteligência Universal há, com respeito a espaço e tempo, somente uma espécie de presente eterno, ideia que ainda não pode ser bem compreendida neste mundo de tamanhas limitações. Racionalismo Cristão, 44ª edição, p. 37.

Já nós, na qualidade de espíritos encarnados neste planeta-escola que é a Terra, e com limitações da consciência relativas a este mundo, precisamos de uma medida de tempo para que possamos organizar nossa vida. Dessa forma, a sucessão dos anos, dias e horas nos dá a noção de presente, passado e futuro e mede um intervalo entre a encarnação e a desencarnação do indivíduo e, de modo mais amplo, exprime a linha do tempo da história de um povo ou da humanidade em geral.

Comparativamente ao presente eterno, o tempo de duração de uma encarnação é muito pequeno. Por mais anos que o indivíduo possa viver, não serão suficientes para ele ter uma evolução espiritual completa.

Então, o ser encarnado deve se conscientizar da necessidade de bem viver a presente encarnação, procurando aprender mais, fortalecer a inteligência, desenvolver os atributos espirituais.

Para alcançar tais objetivos não pode perder tempo com atividades e comportamentos que o desviem desse caminho e deve, ainda, organizar o uso do tempo para garantir equilíbrio na satisfação de três necessidades básicas para o bem-estar físico e espiritual: trabalhar, recrear e descansar.

O tempo aqui no planeta Terra é efêmero e tempo perdido não é recuperável, há que se planejar hoje o dia de amanhã, ter horas para tudo, seguindo uma escala de prioridades e metas a cumprir.

O fator tempo depende do bem planejar e agir. O ditado "o tempo quem faz é a gente" tem base na lei do maior esforço e do livre-arbítrio voltado para o bem. Porém, como somos aprendizes, incorremos em erro por nem sempre dominar o tempo a nosso favor.

O tempo é tão importante na vida do ser em evolução que aqueles que têm esta compreensão têm a chave principal para um caminhar produtivo. O tempo precisa ser trabalhado com muita cautela, dedicado a coisas úteis e jamais desperdiçado, pois o desperdício é irrevogável.

Às vezes, perdemos horas e horas no passado, e esquecemo-nos de vivenciar o presente, planejar para um futuro provedor.

Você já se perguntou quanto tempo perde pensando no passado, no sofrimento, na perda, na dor, na saudade, na vida alheia quando o correto é plantar a boa semente hoje, pois desta semente depende o amanha?

Se pararmos agora para uma pequena reflexão, temos certeza que iremos nos deparar com uma grande parte de nosso tempo gasto indevidamente. Então, não pare, avance!

Devemos elevar nosso pensamento positivamente com objetivo de evoluir, seguir adiante, estudar, crescer!

Valorize seu tempo, cada segundo é de grande importância para um espírito que quer evoluir!

É indispensável respeitar também o tempo do nosso semelhante. Jogar o tempo fora com conversas sem nenhum conteúdo, cuidando da vida dos outros quando é da nossa que deveríamos cuidar, é desperdiçar uma evolução.

Empregar bem o tempo alivia preocupações e da à luz muitas soluções aparentemente impossíveis.

Quando tratamos do fator tempo no contexto de nossa vida material, logo o associamos aos aspectos cronológicos que o relógio nos fornece a todo o momento, ainda mais quando temos de cumprir uma gama de compromissos relativos às nossas atividades diárias.

Algumas atividades que se relacionam diretamente ao fator tempo são:

1 - O tempo de acordar na hora programada pelo despertador;
2 - O tempo de realizarmos a limpeza psíquica;
3 - O tempo de tomar o desjejum;
4 - O tempo de nos deslocarmos até o trabalho;
5 - O tempo do trabalho;
6 - O tempo de retornarmos à casa e termos uma outra jornada de trabalho. Para as mulheres, dividida entre cuidar dos filhos, do jantar, do marido, das roupas, do horário de colocar as crianças na cama;
7 - O tempo da ida a uma casa racionalista cristã;
8 - E, finalmente, criar um tempo para o estudo da nossa Doutrina.

Mas, de que maneira podemos organizar o nosso tempo diante de tantas atividades e demandas da vida moderna?

Com certeza para minimizar de maneira racional o nosso tempo cronológico temos de, em primeiro lugar, cuidar do nosso tempo psicológico, do nosso tempo interior/mental, por onde se processam os nossos pensamentos e, consequentemente, as nossas ações na efetividade do cotidiano.

Assim é que poderemos organizar o fator tempo, primeiro no nosso horizonte mental em que as atividades deverão ser pensadas com racionalidade, depois, executadas dentro do tempo planejado.

Mas existe uma fórmula para que possamos administrar bem nosso tempo? Sim!

Disciplina é a palavra chave. Disciplina é ponto de partida, é guia de percurso, é ponto de chegada. Com disciplina se divide o tempo e se traçam metas. Com disciplina se vence os percalços e se encontra a felicidade. A vida, por ser preciosa e eterna, necessita ser organizada, ter seus passos cronometrados, seu tempo medido, para que não nos percamos nos meandros do ócio e possamos aproveitar nosso tempo sem pressa, mas com precisão e equilíbrio.

Tomemos como espelho e como exemplo a ordem disciplinar natural do universo, onde tudo acontece com rigorosa precisão e sem perda de tempo. Somos parte do Todo, partículas da Inteligência Universal, somos espíritos encarnados e, como tal, devemos aproveitar cada segundo da nossa existência como integrantes desse ordenamento universal, onde cada passo se insere no momento e no movimento seguinte, numa sequência rigorosamente disciplinada.

Eis a fórmula para não desperdiçarmos a nossa existência no desfrute das nossas vidas material e espiritual.

Fevereiro 2012

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo