gazeta2.jpg (8041 bytes)

O crime e a maldade nunca compensam!

Gilnei Castro Müller

Os criminosos que agem com maldade, muitas vezes com grande crueldade contra seus semelhantes, praticando assaltos, roubos, estupros, assassinatos, golpes, falcatruas e todo tipo de ações em desacordo com as leis naturais e imutáveis que regem a vida e as ações do homem racional e civilizado, incluindo as sábias Leis Espirituais, com certeza desconhecem a existência dessas leis. Nem imaginam que procedendo desta maneira estão contraindo pesados débitos espirituais que serão resgatados em um futuro próximo ou distante, ainda nesta vida física na atual encarnação, ou em vidas futuras através de sofrimentos físicos e morais que serão vivenciados em suas próprias vidas nos seus mínimos detalhes.

Essas criaturas que agem fora das leis imaginam que a vida do ser humano se resume em uma única trajetória terrena, e que por isso devem pôr em prática todas as suas extravagâncias "nesta única encarnação" sem nenhuma perda de tempo. Assim, se esbanjam em comer e beber tudo que encontram, impulsivamente acham que têm que realizar todos seus caprichos mesmo à custa da exploração e da desgraça alheia. O quanto faz falta o conhecimento sobre a realidade da vida espiritual para nortear o rumo certo na vida dessas criaturas!

Aparentemente alguns "espertos" podem achar que estão se dando bem no momento presente, mas não pararam para pensar ou sequer imaginar no dia de amanhã, quando todas as suas falcatruas vierem à tona e a verdadeira justiça começar a se fazer em breve na atual encarnação em corpo físico. Ou então após a morte desse corpo quando terá que fazer uma verdadeira viagem astral entre seus companheiros de perversidade e depois voltar aqui e através de indizíveis sofrimentos físicos e morais, enfim após passar por pesadas lutas internas, concluir intimamente que é mil vezes preferível fazer o bem para o seu semelhante do que agir para prejudicá-lo uma única vez.

Quando essas criaturas que ainda agem com maldade se conscientizarem da existência das Leis Espirituais, destacadamente a lei do retorno e da nulidade dos perdões divinos após a morte, que cada um é responsável pelos seus atos e ações e mais cedo ou mais tarde terá que responder perante sua própria consciência por tudo que fez, irão modificar seus procedimentos. Certamente passarão a agir de outra forma, com prudência, meditando e pensando bem sobre suas próximas ações no dia de amanhã para verificar se irá prejudicar alguém, pois mesmo à custa de intensa dor e sofrimento íntimo haverá de constatar que agir através do crime, da maldade e da perversidade nunca compensa. No final o bem sempre haverá de prevalecer sobre a mal, pois a justiça no plano Espiritual Superior é a única que o dinheiro das falcatruas terrenas jamais poderá comprar ou sequer corromper!

Outubro 2008

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo