gazeta2.jpg (8041 bytes)

Para que se possa encontrar o Mestre de Nazaré

Gilnei Castro Müller

Para que se possa encontrar Jesus, o nosso "Mestre de Nazaré", em sua essência humana e espiritual, se tem que ir buscá-lo não nos evangelhos, sejam eles da igreja ou qualquer outro apócrifo ou não, ou até em outros evangelhos modernos que venham a surgir, mas dentro da nossa alma, do nosso Espírito, da nossa consciência, como um irmão mais velho, que já trilhou muito antes de nós, o mesmo caminho que agora estamos a trilhar!

Que se ponham de lado as velhas muletas gastas das religiosidades e preconceitos ligados as crendices absurdas, que certamente, se poderá sentir e compreender no íntimo quem foi este Homem-Jesus! Essa verdade puríssima, todos nós um dia poderemos compreender, desde que para isso, se ponha em ação as nossas faculdades para raciocinar livres de preconceitos e outros interesses pessoais ou sectaristas atrelados às tradições das crenças convencionais.

Nos momentos de recolhimento íntimo, é para ele que se tem de dirigir os pensamentos, como se estivéssemos a nos dirigir para um irmão mais velho e adiantado na escalada evolutiva, com conhecimentos à respeito da vida espiritual muito superiores aos nossos, para que nos elucide, como um amigo, como um conselheiro na longa estrada evolutiva que ainda se terá de percorrer. Somente assim se poderá compreender o "Jesus-Homem" de outrora, e o Espírito evoluidíssimo que é hoje, foi superior, e mais digno de admiração do que o "Jesus-Milagreiro" encontrado nos evangelhos bíblicos ou mesmo do que o "Jesus-Deus" que as religiões o promoveram arbitrariamente e querem a força de "evangelizações missionárias", nos fazer aceitar ainda hoje.

Para que se possa receber os reflexos da Luz e dos conhecimentos do Mestre nazareno, não é necessário sair para a rua com um "livro sagrado" embaixo do braço ou na mão e gritando bem alto, para todos ouvirem, que é cristão ou então com um cartaz bem grande no peito e outro às costas informando que; "eu sou cristão". Mas sim, é necessário em primeiro lugar, que se esteja em paz consigo mesmo, com a consciência tranqüila e serena, preparado para trabalhar pelo bem comum e nunca estar na espera de recompensas pelo que se tenha feito em benefício de outrem. Pois Jesus já teria se expressado desta maneira com referência à ajuda aos mais necessitados: "...quando se ajuda a alguém, a mão esquerda não deve saber o que faz a direita". Isto quer dizer que, se deve ser discreto até na hora de distribuir algum benefício.

Uma coisa é certíssima, todos nós caminhamos para Jesus, para o infinito, para a perfeição suprema, para a "Verdade Total" no plano Espiritual Superior, com a maior confiança em nossos próprios potenciais latentes, com a maior confiança no futuro que nos aguarda, seguindo o mesmo caminho que o "Mestre Nazareno" seguiu no passado, e também seremos grandes um dia no progresso espiritual, grandes enfim, para ajudarmos aqueles que nos cercam e precisam mais do que nós de uma força ou de um amparo espiritual.

E para isso, para conquistarmos este futuro, não precisamos estar com nossos Espíritos atrelados à crendices, não necessitamos de "evangelhos" e nem de outros "livros sagrados". Precisamos sim, é de raciocinar com acerto e lucidez espiritual suficiente para que possamos encontrar as respostas para as seguintes incógnitas no caminho da espiritualidade durante a nossa trajetória terrena:

1. De onde viemos? Resposta: Viemos do nosso mundo de estágio espiritual ou mundo de Luz correspondente ao nosso nível de evolução já alcançada em vidas passadas ou encarnações anteriores. Ninguém está à passeio, viemos para cumprir uma missão importante que não podemos repassá-la para terceiros!

2. Quem somos? Resposta: Somos partículas de força e luz componente do Todo Universal (Grande Foco) em constante evolução, e como força espiritual tomamos por "empréstimo" um corpo físico durante cada trajetória terrena, para realizarmos a evolução espiritual individualmente. O corpo físico somente tem serventia para o Espírito enquanto ele se encontra "encarnado". Quando ocorre a desencarnação o Espírito que é imortal e eterno evola-se ou translada-se para seu mundo correspondente, não mais precisando da matéria, e por isso após a "morte" do corpo físico o mesmo se desintegra e aqui permanece voltando ao próprio pó da terra para passar a compor outros organismos.

3. Onde estamos? Resposta: Estamos a habitar temporariamente o mundo Terra que é um dos "mundos-escola" existentes no Universo com a finalidade de proporcionar aos Espíritos até determinada classe evolutiva o aperfeiçoamento dos seus conhecimentos para que a partir daí não mais necessitem aqui reencarnar.

4. O que devemos fazer? Resposta: Enquanto de posse de um corpo físico devemos aproveitar ao máximo a oportunidade que nos está sendo oferecida. Procurando aplicar o nosso "tempo disponível" em atos e ações elevadas direcionadas para o progresso espiritual nosso e daqueles com quem convivemos durante a vida terrena. Porém os cuidados com a vida material não podem ser negligenciados e assim sendo, o "Espírito encarnado" deve procurar viver com a harmonia as duas vidas; a material e a espiritual paralelamente, para que possa melhor aproveitar a sua encarnação.

5. Para onde vamos após esta vida? Resposta: Após o término de cada trajetória terrena, ocorre a "morte do corpo físico" que é um desdobramento natural para os seres humanos e assim o Espírito desencarna e retorna ao seu Mundo de Estágio Espiritual para fazer um balanço de seus erros e acertos e de acordo com a necessidade poderá aqui retornar para resgatar possíveis débitos espirituais ou então passar para outro plano ou Mundo mais adiantado, onde prosseguirá a sua longa trajetória evolutiva até confundir-se com a perfeição da Luz Total máxima que é o Grande Foco ou a Inteligência Universal Suprema.

Aqueles Espíritos encarnados que têm a oportunidade de agora se encontrarem de posse de um corpo físico, e que já possuem plena consciência da sua situação e da sua composição como força espiritual (Força e Matéria), que já conseguiram encontrar a resposta para estas cinco incógnitas que envolvem os conhecimentos preponderantes com relação a "passagem do Espírito" neste mundo Escola, que estamos a habitar temporariamente, não perderão o seu precioso tempo se desviando por caminhos tortuosos e difíceis, se preocupando somente com a maldade e a desgraça alheia, mas sim, seguirão a passos firmes pelo largo caminho da luz e da espiritualidade, procurando cumprir da melhor forma possível os seus deveres materiais e espirituais a cada passo que avançam na sua longa trajetória evolutiva.

Janeiro 2007

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo