gazeta2.jpg (8041 bytes)

Juventude

Márcio Daldin Teodoro

Durante a graduação tive a oportunidade de estagiar em colégios da rede pública e privada de ensino. Como nossos jovens são o futuro do nosso mundo, talvez a realidade que observamos em nosso país atualmente não seja animadora. O amadurecimento precoce é evidente. É comum ver crianças de 12 ou 13 anos namorando e usando alianças de compromisso sem saber o significado disto. Os brinquedos, bonecas e jogar bola num pequeno campo de terra, foram trocados por celulares de última geração, tênis de alto valor, roupas da moda, videogames que em nada contribuem para o desenvolvimento do pensamento.

É raro ver jovens entre 14 e 17 anos interessados em leitura, aprendizado e adquirir conhecimento para a vida. Pensamentos nefastos tomam conta de uma turma em sala de aula – professores sabem das dificuldades em tentar ensinar algo construtivo para essas pessoas.

O fundamental é não deixar que esses tipos de atitudes tornem-se permanentes ou piorem ao longo da vida. Isso é responsabilidade dos pais, que devem ser os tutores e não deixarem que seus filhos percorram caminhos impróprios. Porém, observa-se que a escola tem se tornado um depósito de alunos, onde seus pais raramente aparecem. Se o aluno entende que seus pais não demonstram interesse por sua educação, é obvio que uma falsa sensação de liberdade é sentida por eles. Acompanhar a educação, cobrar e motivar é obrigação da escola e principalmente dos familiares.

Muitos chefes de família têm trocado notas boas por aparelhos eletrônicos e outros tipos de futilidades, fazendo assim um escambo com seus filhos, provocando o grave erro de incentivar o materialismo e esquecendo que ir bem na escola é um dever e não um negócio. Ao invés de dar presentes caros, melhor seria oferecer bons livros e incentivar a prática do lado espiritual. Este seria um ótimo caminho para educá-los. Os textos e livros do Racionalismo Cristão podem ser lidos por todas as pessoas em qualquer idade e de qualquer religião, permitindo um claro conhecimento sobre coisas que comumente não se aprendem na escola.

O acesso à educação é para poucos e, mesmo os que a têm, muitas vezes não fazem bom uso dela, desperdiçando uma grande chance, assumindo a posição do tipo "não tô nem aí para o mundo". O acesso facilitado às drogas, lícitas e ilícitas, somado às facilidades que a tecnologia oferece, tem levado nossos jovens para longe do bom caminho da evolução.

O que percebemos é que milhares de jovens desencarnam anualmente vitimados pela bebida, droga, brigas sem sentido ou por qualquer motivo banal. A falta de motivação, de esperança, de força de vontade e depressão são cada vez mais evidentes e observadas nessas pessoas. Os motivos que levam a tal triste estado estão associados a vários fatores. O desinteresse dos pais perante seus filhos e a não presença durante o desenvolvimento dos adolescentes são, certamente, algumas das causas, como já comentado anteriormente. Mas, o principal motivo é a falta de um objetivo claro na vida. Também falta um conhecimento adquirido por si mesmo sobre o que fazemos aqui. Muitos, mesmo nessa fase tão difícil da vida, conseguem grandes vitórias, começam a progredir lentamente, e em pouco tempo os vemos "a grandes altitudes", progredindo e levando uma vida digna e admirável. Do contrário, é comum jovens drogados, iludidos pelo álcool, sexo e outros vícios, levando-os a estados cada vez mais regressivos.

Este período da vida é complicado, mas ainda é onde se forma o caráter do individuo, onde é estabelecido um momento de grandes decisões e feitos que irão perdurar por toda a vida. Estar preparado para isso exige serenidade, muita força de vontade e um bom conhecimento da vida espiritual. Sem dúvida nenhuma, o estudo do Racionalismo Cristão, mesmo que individualmente, será de grande valia e trará esclarecimentos valiosos para esses que serão...o futuro de nosso mundo.

Novembro de 2006

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo