Estudar e aperfeiçoar a mediunidade

Pedro Pomin Neto

A faculdade mediúnica – pelo menos a intuitiva – é inata no ser humano e exige dele cuidados e atenções especiais. Sua grande sensibilidade tem íntima ligação com o sistema nervoso. E esse sistema, uma vez alterado, pode levar o indivíduo à irritabilidade, expondo-o às investidas do astral inferior. Prática do Racionalismo Cristão, 13ª edição.

É apenas como estudioso da doutrina racionalista cristã que aqui estou para ousar falar de um assunto tão sério e de fundamental importância na vida de todos nós seres encarnados.

Todo ser deve não somente conhecer como compreender a faculdade mediúnica da qual todos nós somos portadores, mas nem todos conhecedores e por conta disso muitos vivenciam um conturbado desconhecimento responsável por levá-los a um viver agitado, tumultuado.

Compreender a mediunidade só é possível estudando, e muito! Lendo nas entrelinhas todos os tópicos sobre mediunidade disponíveis nas obras editadas pelo Racionalismo Cristão como "A vida fora da matéria" e "Prática do Racionalismo Cristão". Devemos ler e colocar em prática em nosso dia a dia os ensinamentos ali obtidos.

Viver serenamente, na plenitude de cada momento presente, deixar fluir com naturalidade cada momento, sabedor de que nada é permanente. Todo médium precisa desta serenidade proveniente da alma que nutre todo processo de compreensão e discernimento do bem e do mal, de bons e maus momentos, do certo e do errado.

Desta forma, estaremos abrindo caminho para a intuição que nos põe em contato direto com nossa sabedoria interior tornando possível uma sincronicidade com as Forças Superiores.

As dificuldades em compreender, e muitas vezes até de aceitar, a mediunidade são provenientes do desconhecimento das leis naturais que regem o universo assim como também regem os fenômenos psíquicos desconhecidos e muitas vezes mal interpretados sendo até chamados de milagres. Tudo por falta do conhecimento da força que atua sobre a matéria, ou seja, do campo da espiritualidade.

E assim, dias e dias passam e muitos seres mergulham em crendices e, atolados na obscuridade, sentem cada vez mais a necessidade de algo que lhes possa explicar melhor o campo da mediunidade. Muitas vezes, perdem a encarnação preciosa.

Todo médium é por natureza pessoa agitada e, por conta disso, sente necessidade de conviver em ambientes calmos, serenos, tranqüilos.

O Racionalismo Cristão respeita seus médiuns e chama a atenção o tempo todo para estudar e aperfeiçoar a mediunidade e viver o máximo possível disciplinadamente.

Aos médiuns é indispensável evitar ambientes conturbados para não correrem o risco de se deixarem influenciar pelos mesmos.

Aos médiuns também não convém nenhum tipo de vícios e ociosidades. Na verdade, ambos não são aconselhados a ninguém, mas são os médiuns quem mais sofrem as conseqüências maléficas ocasionadas pelos mesmos.

É natural aos médiuns confundir pensamentos com reflexos de espíritos, mas é possível transpor esta barreira. Em geral isso não acontece por acaso, quase sempre é fruto de amaranhados de pensamentos, de preocupações diversas relacionadas ao dia a dia e até de notícias que chocam e abalam, e esta barreira emocional transforma-se em pressão e nossa mente sob pressão freqüentemente cria fantasias, imagina coisas que de fato não são reais.

Não é bom nutrir o medo, pois o medo, como quase todos nós sabemos, ofusca a inteligência, gera nervosismo e atrai o que mais tememos para junto de nós. O mal-estar que o medo provoca tem efeito imediato sobre o poder do raciocínio do médium e acaba levando-o também a mistificar.

No meu ponto de vista, diante dos estudos que processo há mais de 50 anos dos princípios apresentados pela doutrina do Racionalismo Cristão, acredito que um médium precisa tomar todo cuidado do mundo, que precisa viver uma vida completamente diferente das demais pessoas, privando-se de inúmeras futilidades a fim de poder conseguir ser um límpido instrumento da verdade, da luz, do bem, sabendo discernir o bem do mal, a luz das trevas e levar a todos os que vivenciam na Terra as doutrinações de nossos Mestres do Astral Superior.

Aqueles que se propõem a se tornar médiuns dentro de uma casa do Racionalismo Cristão, não devem deixar de ler e praticar todos os itens do livro "Prática do Racionalismo Cristão", 13ª edição, e estudar detalhadamente a obra "A vida fora da matéria", principalmente o capítulo sobre mediunidade e médiuns. Lembrando que, não basta ler apenas, é preciso praticar na íntegra!

Colaboração: Ely Ramos

Petrópolis, RJ, maio 2011

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo