gazeta2.jpg (8041 bytes)

Emoções

Wilson Moita

Quando o estado emocional das pessoas está em desequilíbrio, alteram-se todos os sentidos, a saliva fica rala ou densa, a visão fica nublada, os músculos enrijecem, os dentes rangem, os punhos ficam cerrados, as glândulas sudoríparas aumentam a secreção de suor, o coração dispara seus batimentos. O estado emocional altera-se rapidamente, pode ser de profunda tristeza ao outro lado de extrema alegria; ou de profundo medo ao outro extremo que é a coragem; ou de amizade à outra ponta que é de extremo ódio; portanto, são equivalências de forças antagônicas que se mantêm sobre um ponto central, sem se inclinar para nenhum dos lados que alternam-se dependendo do nosso equilíbrio ou desequilíbrio emocional. Temos que dar a justa proporção no domínio de nós mesmos, é um estado de integração em que essas tendências antagônicas ou competitivas se compensam reciprocamente.

Existem outras variáveis em que nossas emoções são aparentemente iguais, mas estão modificadas; as alegrias na família são diferentes das alegrias vivenciadas na escola, no trabalho, no clube, ou numa festa. Da mesma forma, os acordes de uma música podem nos levar à tristeza ou alegria. O corpo é formado por fibras que também são encontradas nos reinos mineral, vegetal e animal, portanto, uma máquina em perfeita sintonia com a natureza do universo.

O corpo é dirigido pelo mental, em um processo de excitação e inibição, bloqueios e desbloqueios, num vai-e-vem de informações conduzidas por nervos, filamentos de comunicação do cérebro e da medula espinhal com a periferia do corpo, portanto, destinado a transmitir sensações e incitações motoras que podem ser bloqueios e desbloqueios.

Nosso pensamento está intimamente ligado com as emoções, é um dínamo emissor e receptor de energia. Como receptor tem que estar bem, para receber intuições de novas idéias que são os "elementos fluídicos" da força criadora. Assim, nossas idéias não devem caminhar por ambientes insalubres, como pensar em pessoas negativas, enfermidades, ressentimentos, dissabores, mágoas, pois, receberá como retorno, os fluidos deletérios oriundos desses ambientes. Essa carga deteriorada de energia, transformará em nódoas dentro de nosso espírito, que, por sua vez, atacará algum ponto sensível da matéria, danificará células, transformando-se em doenças curáveis ou incuráveis. Portanto, as "EMOÇÕES" afetam diretamente as funções de nosso corpo, e o pensamento deve ser um gerador permanente de saúde, transmissor de energia revigorante para as células, pensar bem para atrair o bem, justificando assim as leis de causa e efeito. Hoje somos o resultado de ontem e amanhã seremos o resultado do que pensamos hoje, portanto, através dos pensamentos projetamos ao futuro o que queremos.

Um outro fato que observamos são pessoas extremamente preocupadas em fazer o bem, gentis, alegres, dóceis e amáveis, sempre prontas a ajudar, portanto, são pessoas valiosas, com um poder de captar e transferir elementos fluídicos, a quem quer que seja. Estas, quando reunidas em duas ou mais pessoas, assumem poderes que com a sua simples presença são capazes de alterar as cores do local e, o estado de ânimo das pessoas, até podem curar as debilitadas emocionalmente. Quando se necessita de maior energia, podem formar um círculo incluindo a pessoa enferma, esse vigor de pensamentos, emitidos por qualquer criatura mentalmente sã e esclarecida cresce, na medida das necessidades do momento, amplia-se, expande-se e supera qualquer corrente de pensamentos inferiores, pela atração que exerce a Força Universal cujo poder é infinito, devendo projetar pelo pensamento a regeneração das células, com a transferência de elementos fluídicos ocorrerá uma sensível melhora na recuperação da pessoa debilitada, mas, dependendo do "querer", da "vontade", e da "aceitação" da pessoa debilitada.

Um grande número de enfermidades é mental, dentro do processo, inibição e desinibição, bloqueio e desbloqueio. Nesse processo está a solução para muitas curas de enfermidades que no passado nós mesmos projetamos para nós, e é só com o conhecimento sobre nós mesmos como força e matéria, que vamos saber melhor equilibrar nossas emoções e melhor emitir saúde para nosso corpo.

Também temos urgentemente de eliminar o processo peditório ou de negociação com supostas divindades, mas sim gerar a energia regenerativa, abrir no processo mental espaço para a cura de enfermidades ou a solução de problemas aparentemente insolúveis. Assim nós geramos saúde ou enfermidades. Da mesma forma poderemos gerar alegria ou a tristeza, produzir bem estar ou mal estar.

Em um ambiente com algumas pessoas alegres, se houver uma produzindo pensamentos deletérios, considerando que as demais não conheçam a regra do "pensar é atrair", o bem ou o mal, esta pessoa que está gerando energia negativa derrubará a alegria reinante das demais, o bem sempre vem, mas, vai requerer um maior esforço das demais pessoas presentes.

Outubro de 2005

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo