A mulher

Aida Almeida Lopes da Luz

Há muitas mulheres, mesmo nos tempos modernos, para quem o seu melhor papel é o que podem realizar através do casamento, da maternidade e da participação das atividades de seu marido.

Para ser uma esposa vitoriosa é preciso reconhecer que sua carreira requer, entre outras coisas, as qualidades de uma diplomata, de uma mulher de negócios, de boa cozinheira, enfermeira experiente, professora, política e mulher atraente. Assim, será esta a mais perfeita e compensadora de todas as carreiras femininas.
Maria Cottas, Páginas soltas, p. 25.

Sabemos, através da História Universal, que existiram épocas de instabilidade para o "Ser Humano", entregue mais aos vícios do que à moral, produzindo falência nas Antigas Civilizações do Egito e Roma.

A mulher de então, desprezada devido à vaidade, à falta de moral, aos maus costumes, demorou a se erguer. O tempo passou, ela conseguiu impor-se como a esposa, a fada do lar, a educadora da prole, e, de há cerca de cinquenta anos a esta parte, vem trabalhando paralelamente ao homem, ajudando na manutenção da família, pois a vida passou a fazer outras exigências e hoje os dois têm que trabalhar.

Porém, embora a educação deva ser ministrada pelo casal, ela nunca deverá esquecer a sua condição de esposa e mãe, lembrando-se de que para além disso é mulher, e como tal tem uma sensibilidade que lhe confere uma maneira especial de encarar os problemas, tendo uma responsabilidade acrescida na resolução dos mesmos.

Não deverá ter vaidade por se ter tornado uma mulher de armas, mas se regozijar por o poder ser, pois a sua formação profissional lhe conferiu ainda mais responsabilidade. Ela hoje está apta a discutir todos os assuntos com pessoas formadas de ambos os sexos, e com isso se sente realizada.

A realização profissional é um grande passo para a felicidade tanto do homem como da mulher. O Racionalista Cristão sabe que a felicidade não é completa enquanto estiver neste mundo, mas pode ter uma felicidade relativa, se trabalhar para isso.

Sendo mulher, e perante uma sociedade que ainda não está completamente virada para a aceitação dela como profissional equivalente ao homem, ela tem que ter muito cuidado, respeitando a todos para obter também ela o devido respeito.

Paralelamente aos seus deveres de esposa e mãe, ela busca instruir-se aumentando a sua cultura, a sua intelectualidade. Pensando bem, essas capacidades que ela desenvolve nos dias de hoje não só a beneficiam mas também aos filhos, pois está melhor elucidada para lhes transmitir informações. Porém, ela jamais deverá esquecer de desenvolver a sua espiritualidade, e o esposo deverá procurar dar-lhe o apoio necessário, pois se é verdade que "por trás de um grande homem está sempre uma grande mulher", também não deixa de ser verdade o inverso.

Quando dois seres se unem pelo casamento, ambos devem procurar assentar sua união em bases sólidas, pois a família é a mola mestra da sociedade. Compete-lhes desenvolver os atributos que trouxeram de encarnações pretéritas e muitas vezes se encontram adormecidos no seu subconsciente.

Os novos seres que nascerem precisam de contar com a formação ministrada pelos pais, através dos exemplos, pois aquele que é bom filho, bom pai será. É um fato que, quando não se encontram bons exemplos, pouco se tem a passar.

25 março 2011

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo