gazeta2.jpg (8041 bytes)

A mentira começa na infância

Eliane Ramos e Pedro Pomin Neto

Ser racionalista cristão é ter amor à Verdade, sem sentimentalismo e sem preconceitos, que inferiorizam a vida neste mundo-escola, de aprendizagem, que é o planeta Terra, porque todos nós aqui estamos em missão de resgate de nossos erros e de nossas imperfeições, desta e de encarnações passadas. Pompeu Lustosa de Aquino Cantarelli, Saber viver, p. 26, Edição Internet.

Mentir é falar ou dizer algo contrário à verdade. É a expressão e manifestação contrária ao que alguém sabe, acredita ou pensa.

A mentira, na maioria das vezes, começa na infância. Por isso, é muito importante estarmos atentos às nossas próprias atitudes diante das crianças, pois elas são observadoras e percebem em nós a mentira em pequenos detalhes desde falsos elogios, ou aquelas ditas por receios das conseqüências, etc.

Nunca devemos pedir a nossos filhos para dizerem a alguém que bate a porta que "não estamos em casa".

Isso acontece frequentemente, e incitam os filhos a mentirem e desta forma as crianças aprendem a necessidade de mentir, mentindo para se esconderem e se isentarem de culpas.

Por volta dos sete anos as crianças já têm capacidade para distinguir claramente o verdadeiro do falso, e os adolescentes passam a conseguir discernir com relativa facilidade quem está a mentir ou a ser sincero.

Por isso, é preciso muita atenção com o que dizer a uma criança, até mesmo nas historinhas que contamos devemos contar fazendo prevalecer à verdade.

De nada adianta fazer a criança acreditar que pode voar, se ela sabe que não tem asas.

Muitas vezes as crianças descobrem que a mentira pode ser aceita em certas ocasiões e até ilibá-los de responsabilidade e ajudar a sua aceitação pelos colegas e até por seus próprios pais.

E assim acabam caindo no vício de mentir repetidamente ao descobrir que as suas mentiras saciam a curiosidade dos pais.

A criança aprende tudo que lhes são ensinado e assim elas aprendem também a necessidade de mentir.

Quando as crianças mentem, os pais devem conseguir distinguir entre a realidade e a mentira e falar abertamente com elas sobre os aspectos pejorativos da mentira, e as vantagens que a verdade lhes trará.

O Racionalismo Cristão ensina a Verdade acima de tudo, a criança que cresce num berço racionalista cristão e tiver dentro de casa o exemplo dos pais e familiares, será um adulto digno de respeito por não mentir jamais.

Em casa a criança deverá encontrar exemplos de verdade e honestidade que fomentem a sua atitude de sinceridade.

O caminho da mentira, com toda certeza não é o melhor a se seguir, pois a mentira é muito perigosa, acima de tudo para o espírito da criatura atrasando a evolução espiritual das mesmas.

Existem pessoas que banalizam e colocam a mentira como positivas chamando de "mentira branda". Mas a grande verdade é que a mentira causa muitos sofrimentos e faz derramar muitas lágrimas, sobretudo quando projetada sob a forma de calúnia.

Algumas pessoas mentem, outras são vítimas da mentira e assim a mentira vem ganhando força mergulhando e se firmando na vida das pessoas.

A pessoa que mente se envolve em um emaranhado enorme e fica presa na própria mentira não conseguindo mais se libertar dela, pois sente vergonha de si própria e de suas atitudes.

O mentiroso não enxerga, vive na escuridão, principalmente nas trevas espirituais.

Quem mente frequentemente, acaba acreditando na própria mentira, pois tem esta necessidade de acreditar, mas como a verdade sempre prevalece, elas se tornam inconfiáveis e a pior coisa que pode acontecer a uma criatura é ela se tornar inconfiável por conta de suas mentiras.

A mentira tem pernas curtas, dura até a verdade chegar, e a verdade sempre chega. A verdade é elevação e deve prevalecer sempre em qualquer circunstância.

Não existe mentira positiva e negativa toda mentira enfraquece o espírito e prejudica a criatura.

A mentira pode se tornar uma obsessão, precisando ser tratada quando surge como uma dependência, quando dita de uma forma compulsiva.

Os dependentes da mentira sabem que estão a mentir, mas não se conseguem controlar, num processo que surge de uma forma muito semelhante ao do vício do jogo ou à dependência de álcool ou de drogas. Tais pessoas precisam de tratamento, ajuda profissional e principalmente espiritual.

Por isso precisamos ter cuidado com a mentira dita próximo às nossas crianças, para que não se acostumem a mentir e não cheguem a este ponto.

Dizendo sempre a verdade a elas e se alguém mentir perto de uma criança, conte-lhe a verdade na primeira oportunidade mostrando que a mentira é desnecessária.

Para a desobsessão de uma criatura em tal estado, em primeiro lugar será preciso que ela aceite sair de tal situação e aprenda o controle total dos ímpetos, evitando a mentira se voltando inteiramente ao estudo das obras editadas pelo Racionalismo Cristão que são ricas em verdades esclarecedoras, praticando a disciplina editada pelo Racionalismo Cristão e principalmente fazendo sempre as irradiações.

Ocupando seu tempo com estudo e raciocínio, para substituir o mau hábito da mentira pela plenitude de verdade que só o Racionalismo Cristão tem a nos ofertar, pois é a Doutrina da Verdade.

Junho 2009

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo