gazeta2.jpg (8041 bytes)

Discursos históricos

Discurso de Antonio Cottas, ao inaugurar a nova séde do
Centro Redentor, no Rio de Janeiro, em 20 de outubro de 1956.

Exmo. Sr. Embaixador Francisco Negrão de Lima
Digníssimo Prefeito do Distrito Federal
Digníssimas Autoridades
Ilustrado Auditório

Permiti, Exmo. Sr. Prefeito e Digníssimas Autoridades, que — todos de pé —reverenciemos o Brasil, nas pessoas de Vossas Excelências e, num minuto de absoluto silêncio, elevemos nossos pensamentos, com os olhos no Pavilhão Nacional, pela grandeza da nossa Pátria!

Muito obrigado!

Gênese do Racionalismo Cristão

Foi à sombra deste glorioso Pavilhão que o Racionalismo Cristão nasceu em 1910, em Santos, e se expandiu até esta capital, para daqui irradiar seus princípios regeneradores, como doutrina espiritualista e espiritualizadora.

Naquele ano, encontram-se Luiz José de Mattos e Luiz Alves Thomaz e, como obreiros do Bem, iniciaram a codificação dos princípios racionalistas, apoiando-se nos sábios ensinamentos de Jesus, o Cristo, e, meditando sobre sua assertiva de que "na casa do Pai há moradas para todos", deduziram não existir céu nem inferno e sim o Universo, no qual se movimentam milhares de mundos — as casas do pai — e que se referia Jesus, o inigualável revolucionário do Bem contra o mal, que também afirmava que "só a Verdade fará livre a criatura"!

De meditação em meditação, passou Luiz de Mattos ano e meio a estudar a vida fora da matéria, para concluir ser o Universo um composto de Força e Matéria e que essa é a composição de tudo que tem vida e, principalmente, do ser humano, cujo espírito enriquecido dos atributos do raciocínio e livre arbítrio, pode ser comparado ao Universo em miniatura, recebendo de fora vibrações, intuições, descargas fluídicas e vida anímica.

Continuando suas observações, já agora em numerosos casos de loucura, Luiz de Mattos, sempre apoiado em Força e Matéria, despertou a atenção dos psiquiatras da época para sua tese de ser a loucura uma doença da alma, a requerer o estudo da vida fora da matéria.

Não mais cessou de estudar Luiz de Mattos, e, quando senhor da Verdade sobre as coisas transcendentais, tudo expôs a Luiz Alves Thomaz e eis que os dois firmaram compromisso de honra — trabalharem pelo esclarecimento da Humanidade!

Fundação do Centro Redentor

E assim fundaram o Centro Redentor, como sociedade civil, nesta capital, em 2 de outubro de 1911, sendo construída sua sede à Rua Jorge Rudge nº 121, enquanto idêntico edifício se levantava à Avenida Ana Costa nº 67, em Santos, este, inaugurava-se em junho de 1912 e o do Rio, a 24 de dezembro do mesmo ano.

Assumiu a presidência do Centro Redentor, filial de Santos, Luiz Alves Thomaz e a do Centro Redentor — Casa Chefe do Racionalismo Cristão — no Rio de Janeiro, Luiz José de Mattos para chefiar e superintender a corrente Racionalista por toda parte.

Com o decorrer dos anos, os ensinamentos do Racionalismo Cristão foram se radicando e dezenas de Casas Racionalistas foram construídas nos Estados, todas de portas abertas a acolherem os desorientados e sofredores da alma e do corpo, sem que algo seja recebido em retribuição.

Escolas de espiritualização

Verdadeiras Escolas de Espiritualização, esclarecem as almas, despertando-as para o cumprimento do dever para com a Família, a Sociedade e a Pátria, mostrando, ao mesmo tempo, quanto é prejudicial o pensar para o mal, e benéfico o querer bem a toda gente.

Teve, então, Luiz de Mattos, para explanar os Princípios Racionalistas, de desdobrar-se numa atividade exaustiva. Já não bastavam as preleções no Centro, onde, já naquela época uma multidão acorria para ouvir falar desta e da outra vida, duma maneira clara e sincera, como até então não ouvira nunca.

Lançamento de "A Razão"

Proferiu, também, várias conferências públicas nesta capital e cidades próximas — Niterói, Petrópolis, Belo Horizonte — e fundou, em 1916, "A Razão", diário de grande projeção e tiragem, que interrompeu sua circulação em 1922.

Foram seis anos de lutas, campanhas e polêmicas, mas mesmo os que divergiam de suas atitudes e idéias, sempre reconheceram que a pena de Luiz de Mattos esteve, em todas as ocasiões, ao serviço do Bem e dos interesses do povo.

* * *

Em 15 de janeiro de 1926, deixava-nos fisicamente Luiz de Mattos. Em 8 de dezembro de 1931 era Luiz Thomaz que partia, para unir-se, no Espaço, ao companheiro de lutas terrenas.

A nova sede

Mas, na Escola de Princípios, que aqueles dois vultos insubstituíveis tinham implantado, aqueles que souberam guardar seus ensinamentos, foram-nos pondo em execução e encorajados para a luta pela vida, felizes e satisfeitos, passaram a acalentar a idéia de ser dado ao Racionalismo Cristão nova sede e maior do que a primitiva, a fim de melhor acolher aqueles que procuram o Centro Redentor.

Foi realizada uma reunião em 13 de novembro de 1949 dos verdadeiros e leais admiradores dos fundadores do Racionalismo Cristão, e expostos os seus fins, sentia-se e via-se a alegria dos presentes pela próxima concretização duma idéia há muito tempo amadurecida. E a Ata, então lavrada, registrava o compromisso de ser levantada, quanto antes, a nova sede do Racionalismo Cristão, num preito de saudade e gratidão aos seus imortais fundadores.

E consignava ainda a Ata daquela reunião imemorável: a obra seria realizada sem ônus para o patrimônio do Centro Redentor, e custeada pelos discípulos e amigos de Luiz de Mattos e Luiz Thomaz.

Início da construção

Foi nomeada uma comissão, sob a presidência do Sr. Roberto Dias Lopes, digno Vice-Presidente do Centro, e composta dos Srs. Dr. Luiz de Souza, José Pereira Fernandes Dias, Francisco Pereira Torres, Exequiel Novais Vieira de Castro, Nilo Ribeiro e Fredolin Sauer e, em outubro de 1950, dava-se início à construção do edifício, que ora inauguramos.

Na verdade, tratava-se de pessoas dignas e dedicadas à Causa, que se reuniam e trocavam impressões mas tão confiantes na ação do Sr. Roberto Dias Lopes, a quem tinham aclamado Presidente da Comissão, que este tornou-se o propulsor do empreendimento, o dínamo a movimentar tudo, o infatigável trabalhador de todos os momentos.

De manhã à noite, abandonando seus interesses particulares, o Sr. Roberto Dias Lopes era visto superintendendo os serviços, muitas vezes ladeado pelos Drs. Nelson Dias Lopes e Emir Nunes de Oliveira, este, advogado brilhante, mas todos reconhecem o muito de engenheiro que a versatilidade de sua cultura deixa transparecer.

São esses três ilustres amigos os componentes da respeitável organização "Tondela Construções Engenharia Ltda.", que superintendeu e administrou a construção da nova sede do Racionalismo Cristão.

Nesta Casa está, pois, muito da alma do nosso Roberto e da dedicação do seu dileto filho, o Engenheiro Nelson Dias Lopes, que nos acostumou a ver freqüentando o Centro Redentor, desde o tempo das calças curtas.

Encaminhando-se para a Engenharia, vem ele se distinguindo pela sua competência e conduta exemplar, baseada nos rígidos princípios de honradez, e assim tornou-se eficiente colaborador deste notável edifício.

Oferenda aos fundadores

Dirijo-me aos fundadores do Racionalismo Cristão — Luiz de Mattos e Luiz Thomaz!

Aqui estão vossos discípulos e admiradores, reverenciando vossa obra e memória, a pedir-vos recebais vossa nova Casa: maior, mais acolhedora, de estilo mais adequado ao que representam os ensinamentos nela explanados.

Para muitos, será um Templo; para nós é uma boa Escola!

Aqui hão de saber dissertar os que falarem em vossos nomes.

Chegamos ao Racionalismo Cristão aos 26 anos. Quando partistes deste mundo, deixastes-me de cabelos pretos e contava 34 anos. Hoje, a cabeça está toda branca, mas tenho sabido envelhecer cercado de meus entes queridos e amigos dedicados. Não sei quantos mais anos por aqui andarei, mas, assim como nas grandes lutas nunca me deixastes de assistir e encorajar, certo estou, e certos estão todos os meus companheiros, de que aqui estareis sempre a fazer luz sobre todos para que a razão se ilumine e o raciocínio se clarividencie.

A parte espiritual da Doutrina é vossa e das Forças Superiores, cabendo-nos, de semblante alegre pelo dever cumprido, abrir e fechar os portões da vossa Casa, acolhendo com respeito e cordialidade autoridades e público.

E neste quase meio século de trabalhos espirituais, sempre houve ordem e disciplina, o que devemos à vossa assistência e a daqueles espíritos de luz que pairam no Astral Superior.

Homenagem póstuma

Vários dos colaboradores nesta causa já partiram para seus Mundos de Luz e, numa merecida homenagem póstuma, permiti sejam citados seus nomes: Manoel Luiz Garcia, José Fernandes Carvalhal, Ricardo Luiz Mendes, Afonso Caldeira do Amaral, Almirante Barros Cavalcanti, Diamantino Correia dos Reis, Maria Júlia de Mattos, Manoel Acciolly de Almeida e Manoel Maria Ferreira. E não podemos deixar de citar o nome respeitável de Maria Thomázia de Abreu Machado Antas, que soube viver e desencarnar amando e respeitando o Racionalismo Cristão.

Relembramos esses nomes, com saudades, certos estamos de que esses espíritos estão presentes a este ato, revivendo sua estada entre nós.

Fonte de energia

Esta casa será sempre uma fonte inesgotável para todos os sedentos de espiritualidade. Nela hão de encontrar alento todas as almas sofredoras. Entrará nela o fraco para dela sair fortalecido pela vontade de viver e tornar-se uma criatura animada para a luta pela vida, desejando vencer suas dificuldades.

Através do livro "Racionalismo Cristão" sentimos a presença do Mestre Luiz de Mattos como que a guiar-nos pelo caminho da vida, para que não tropecemos e, de fronte erguida e com exemplos de dignidade, valor e honra cheguemos ao fim da jornada.

Dedicação à Doutrina

Meus companheiros e amigos de jornada espiritual!

Vós todos soubestes corresponder aos ensinamentos de Luiz de Mattos e Luiz Thomaz. Sempre solícitos e desprendidos dizíeis, a uma só voz: "Queremos fazer mais e mais pelo Racionalismo Cristão". O que fizermos redundará em benefício de nossos filhos, de nossos netos, porque eles serão os continuadores de amanhã.

Assim será. Não posso, porém, neste momento, deixar de mencionar o nome de um ilustre luso, Sr. Antonio Pinto Monteiro, residente no Porto, mas em pensamento aqui presente. O Sr. Antonio Pinto Monteiro solidarizou-se conosco nesta obra e às centenas de contos contribuiu durante a construção. São assim as grandes almas, quando esclarecidas pelo Racionalismo Cristão: desprendidas, simples e solidárias com as obras espirituais, porém, cometeríamos uma injustiça se não aludíssemos a quem tanto venera a memória de Luiz de Mattos e Luiz Thomaz.

Neste momento, tenhamos esse amigo aqui presente, bem como os Srs. Manoel Rodrigues da Silva Caridade e João Antonio Vilanova residentes em Portugal e grandes amigos desta Casa.

A pátria do Racionalismo

Meus Senhores!

Esta Casa é, agora, entregue aos imortais fundadores do Racionalismo Cristão, mas, na verdade, pertence à Humanidade.

Continuemos a ser os seus zeladores, para que sirva ela de farol ou luzeiro esplendoroso ao mundo!

Foi no Brasil que se viram crescer, envelhecer e falecer os nosso maiores Luiz José de Mattos e Luiz Alves Thomaz, nascidos em Portugal mas, que tomaram o Brasil por sua Pátria e o amaram como os brasileiros dignos o fazem para engrandecê-lo.

Homens bons e de acentuado espírito de solidariedade humana, legaram seus haveres ao Racionalismo Cristão e com eles criaram uma escola de moral e civismo.

Coube, pois ao Brasil a primazia do Racionalismo Cristão. Muitos têm afirmado ser o Brasil o oásis do mundo. Nos o afirmamos por convicção. Aqui, sente-se o que falta a outros povos: espiritualidade.

Admirável povo, o nosso! Nossos homens sempre souberam lutar pela liberdade e nossas transformações políticas, quase se pode dizer, têm sido feitas sem sangue.

Neste momento, é para o Brasil que estão voltados todos os olhares e pensamentos. Desta Casa jamais partirá uma irradiação ao Chefe da Nação que não seja de Paz e Força para vencer as dificuldades. Somos todos espiritualistas, dentro desta Casa não há cores políticas. Nela se aprende a amar a Pátria e a concentrar o pensamento em quem governa o Brasil!

Tendo tido a subida honra de vos ter aqui, Sr. Prefeito e digníssimas Autoridades, sentimos, neste momento, o Brasil com toda a sua grandeza espiritual a irradiar sobre esta Casa.

De pé. todos, agradecemos a Vossas Excelências tamanha honra.

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo