gazeta2.jpg (8041 bytes)

O suicídio não é solução

Aida Almeida Lopes da Luz

Suicídio para quê, se a nada de bom nos conduz? É a arma mais poderosa e demolidora, que algum dia se conheceu!

A arma, por mais mortífera que seja, quer seja de fogo, branca, química ou biológica, destrói tudo à sua passagem, deixa seqüelas naqueles que ficam vivos, vivendo muitas vezes vidas simplesmente vegetativas, deitados em camas de hospitais, ligados a máquinas para o resto de suas vidas, rastejando pelas ruas com membros cortados, estendendo muitas vezes a mão para receberem algo que lhes possa dar a contrapartida para um continuo viver, e, muitas vezes, aqueles que vão nascendo, vêm trazendo ao mundo o conhecimento de deformações várias, causadas por algumas dessas armas.

Porém, em todos esses casos há o reverso da medalha. O ser atingido sofre, mas se for conformado, não se entregar ao desespero e se entregar a viver, dia a dia, passo a passo, com o pouco que possui ou a que tem acesso, ele se depura de dívidas passadas e, ao desencarnar, tem a constatação de algo de muito bom ter conseguido, na sua trajetória evolutiva.

O seu quadro fluídico, que lhe é mostrado ao chegar a seu mundo de luz, mostra-lhe em imagens, como o correr de uma fita de filme, todos os bens adquiridos e que vão ser adicionados ao seu acervo espiritual já adquirido pela vivência em outras encarnações.

Nada de melhor se pode conseguir, ao desencarnar, do que um balanço positivo da nossa jornada terrena neste mundo depurador. Por isso reencarnamos e, para esse fim, devemos dirigir-nos com todo o amor, sapiência e coragem.

É de fato verídica a frase que muitos dos Espíritos Superiores, que sempre nos acompanham, tantas vezes deixam nas lições que nos são dadas, através de suas comunicações doutrinárias: "O MUNDO É DOS FORTES DE ESPÍRITO". Não tenhamos qualquer dúvida!

Como poderíamos explicar e justificar os trabalhos maravilhosos em desenhos e pinturas que nos são legados por deficientes que usam seus próprios pés ou boca para segurar os pincéis, os lápis e os diversos materiais, muitas vezes amparados por um resto de perna decepada ou de um braço cortado até ao cotovelo?

Como poderíamos justificar a mãe que não tem pernas, mas consegue tratar de seus filhos, após tê-los tido como qualquer outra mãe sem deficiência alguma, e ainda os transporta no seu próprio carro, para a escola, para o médico, para uma festa, enfim para onde a sua presença se tornar necessária.

Muitas até, além de não terem os membros inferiores, ainda têm os superiores também deficientes. Por isso, e para essas situações, há técnicos que criaram modelos de carros especiais para tal. Se nos interrogarmos como isso foi possível, também encontraremos a devida resposta: "Claro que foi o próprio Astral Superior que se encarregou de dotar esses técnicos com intuições necessárias a essas modificações. Tudo é feito e controlado pela Plêiade do Astral Superior. Quando necessário, algum espírito encarna com esse objetivo e, por isso, devemos ajudar nossos filhos a encontrarem suas verdadeiras vocações".

Pensemos naqueles compositores, maestros, matemáticos, físicos, que com poucos anos de idade, compõem, regem, resolvem problemas, dos mais difíceis, com toda a facilidade, que à maioria dos seres ainda está negada.

Por tudo isto, e ainda, por termos a certeza de que se cometermos o suicídio, o ato mais vil que podemos cometer contra nós próprios, e que não tem qualquer desculpa, já que os que o fazem é porque o querem, pois são os plenos donos e únicos responsáveis pelo mau uso do seu livre-arbítrio, tendo de aqui voltar tantas vezes quantas as necessárias, até resgatarem esse ou esses erros que, voluntariamente, cometeram, é que queremos chamar a vossa atenção para tal, alertando-os de que os juros a pagar são elevadíssimos, podem crer!

Portanto, digamos a uma só voz, qual Joana D'Arc empunhando sua espada com estoicismo: "NÃO AO SUICIDIO"! – "Vivamos o melhor e mais honestamente que possamos até ao último minuto de nossas vidas! – Não sejamos cobardes, vítimas de nós próprios! – Tenhamos coragem e lutemos por aquilo que queremos, por direito e dever de qualquer ser a quem foi dada a possibilidade de reencarnar!!"

Portugal, em 1 de maio de 2003 - revisão de 26 de novembro de 2007

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo