gazeta2.jpg (8041 bytes)

Impunidade

"... a impunidade foi ficando gravada nas mentes das pessoas e essas pessoas constituem famílias e famílias constituem sociedade, país, nação e os líderes dessas nações são filhos de pais que adotaram inconscientemente a impunidade..."

Ultimamente, as pessoas estão falando com muita freqüência em impunidade, pois estão presenciando muitos e muitos crimes sendo cometidos pelos homens de colarinho branco e esses culpados saem sempre felizes, porque o erro foi cometido, mas se sentem inocentados pela lei vigente na Terra, porque têm de graça advogados e juízes que se dobram em curvaturas vertebrais.

O povo grita, o povo brada, o povo reclama, mas o que o povo não sabe, por falta de vontade de pesquisar, é que a bíblia, tida por muita gente como sagrada, durante séculos, só foi transmitida de boca em boca às gerações que se sucediam. Foi somente cerca de mil anos antes de Cristo que o Rei Salomão começou a escrever o que vinha sendo relatado pelas pessoas.

Numa segunda etapa, 400 anos antes de Cristo, Esdras, um sábio judeu, reuniu o que já estava escrito e escreveu o que faltava, compilando assim o Velho Testamento da bíblia tida e havida como sagrada.

É nesse contexto que foi escrita a vida de Moisés com a história de que libertou o seu povo do Egito e recebeu as Tábuas da Lei, com os dez mandamentos; e um deles é NÃO MATAR. Mas, Moisés mandou matar 3.000 pessoas no Monte Sinai, porque, ainda de acordo com essa história, essas pessoas adoravam um bezerro de ouro que foi idealizado por Aarão, seu irmão, mas deixou vivo esse irmão, nascendo daí a impunidade de que tanto se servem as autoridades para acobertarem seus erros ou de seus descendentes.

A partir dessa atitude, a impunidade foi ficando gravada nas mentes das pessoas e essas pessoas constituem famílias e famílias constituem sociedade, país, nação e os líderes dessas nações são filhos de pais que adotaram inconscientemente a impunidade, já que praticamente todos lutam na justiça para colocar seus filhos em liberdade, por mais grave que tenha sido o crime cometido. Os pais querem a liberdade dos descendentes, mas gritam que a justiça está errada ao favorecer outros criminosos.

O povo ainda vai demorar muito, muito tempo para despertar, para abrir os olhos e descobrir que, sem conhecer a Verdade que liberta, tudo fica incompleto, todo ensinamento não atinge a meta desejada, porque o povo passa milênios combatendo somente os efeitos e isso pouco resolve. Mata a fome agora, mas a fome volta a atacar.

O povo, como um todo, precisa começar a pensar alto e descobrir que sempre existiu a Força Criadora, a Inteligência Universal origem de tudo que tem vida e que governa todo o Universo por meio de Leis, Leis Naturais, Comuns e Imutáveis, e essa Força Criadora, esse Grande Foco de Luz, jamais vai acobertar erros de seus filhos como fazem as autoridades na Terra, jamais vai tornar impune o criminoso, porque suas Leis garantem a todos o Livre-Arbítrio, esse direito de fazer ou não fazer, de ir ou vir, de amar ou odiar, mas, em contrapartida, a cada um é dado segundo as suas sobras. A cada um é dada a oportunidade , não o perdão, de lutar sempre e sempre até a conquista de sua evolução, esse princípio fundamental da vida de todos os seres existentes no Universo.

Acorde, Planeta Terra, acorde para que a impunidade passe a ser apenas uma peça de museu!

Aquiles Moisés dos Santos
Belo Horizonte, 14 de dezembro de 2001

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo