gazeta2.jpg (8041 bytes)

Fidelidade - O bem maior

...  tudo passa na vida. É bom que depois de tudo passar, não fiquem marcas de infidelidade alfinetando a alma do ser humano, machucando sua alegria de viver, essa alegria pura, que nasce do tranqüilo repouso da consciência pelo dever cumprido. 

Nada se pode comparar à fidelidade. É uma longa, muito longa conquista interior que acalenta a nossa existência. O ser humano sem fidelidade vacila muito e, na ânsia de projetar-se, trai compromissos assumidos.

O cenário à nossa volta é de riqueza e pobreza e há seres que tudo arriscam para ser ricos. A luta é para todos e é ela que dá colorido à vida. Deve ser uma luta fiel, como fiéis devem ser nossos pensamentos, essa arma que pode conquistar alegria ou tristeza. Na luta, o ser humano deve ser forte, porque tudo passa na vida. É bom que depois de tudo passar, não fiquem marcas de infidelidade alfinetando a alma do ser humano, machucando sua alegria de viver, essa alegria pura, que nasce do tranqüilo repouso da consciência pelo dever cumprido. Esse dever é cumprido, quando procuramos sempre melhorar o que encontramos.

É bom buscarmos ser fortes moralmente, porque o Bem sempre vence o Mal, embora aparentemente vemos tantos acontecimentos dando a entender que o Mal vence o Bem, o que é uma ilusão aparente. O forte moralmente ama todo mundo, mas não se mistura mentalmente com os seres maus, demonstrando assim o valor da fidelidade aos atos de valor, dando valor ao que valor tem.

Aprender a não se misturar com os maus sem odiá-los é fruto de quem conhece a fidelidade em todos os atos da vida. Descobre-se que o nosso ódio nos faz mal, porque nos torna maus. Assim pensando, constrói-se o patrimônio que nem a ferrugem nem a traça podem destruir e esse patrimônio é individual, pois acompanha o ser por toda parte, em qualquer dimensão, porque esse patrimônio não se deixa em testamento, mas conquista-se dia a dia. É a felicidade brilhando como o ouro, essa felicidade que está dentro do ser humano fiel e ao mesmo tempo está em tudo, porque quem valoriza os bens é a consciência do ser humano. Nada supera a felicidade uma vez encontrada e somente será encontrada quando o ser humano conhecer-se a si próprio, por dentro e por fora.

A Força Criadora, que o povo chama de Deus, está por toda parte, literalmente ocupando tudo na Terra e no Universo. Aprender a atrair essa Força e retê-la junto de cada um é tarefa de todo aquele que entender bem o "Eu estou no Pai e o Pai está em mim, mas o Pai é maior do que Eu", no dizer de Jesus Cristo. Cada ser humano vai conquistar o direito de dizer e sentir o sentido dessa frase, quando aprender que tudo no Universo, tudo, do infinitamente pequeno ao infinitamente grande, é composto de Força e Matéria, Força no seu sentido amplo e Matéria no seu sentido Universal, porque até a matéria orgânica que vemos, sentimos e apalpamos é uma metamorfose da Matéria Universal que é toda fluídica.

Aquiles Moisés dos Santos
Belo Horizonte, 26 de janeiro de 2001

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo