gazeta2.jpg (8041 bytes)

Amor e sexo

Alguns escritores afirmaram que o amor é eterno enquanto dura, mas o raciocínio nos diz que o amor dura sempre, porque é eterno. O amor e o sexo são coisas distintas, como distinto da árvore é o cipó que nela se enrola. Os dois estão unidos, entrelaçados, mas cada um exercendo seu papel, mas o amor é eterno e o sexo, passageiro.

O tempo mudou. O mundo informatizado envolve-nos e não precisamos nem sair de casa para realizar muitas transações que antes exigiam a nossa presença nos órgãos oficiais, a exemplo da Declaração do Imposto de Renda. Ela pode ser feita em casa e transmitida via Internet para a Receita Federal, da própria residência.

Mesmo nesse novo mundo, o Amor e o Sexo acompanham o ser humano desde seu início e continuam de pé, exercendo cada um sua função, sendo ambos diferentes um do outro. Alguns escritores afirmaram que o amor é eterno enquanto dura, mas o raciocínio nos diz que o amor dura sempre, porque é eterno. O amor e o sexo são coisas distintas, como distinto da árvore é o cipó que nela se enrola. Amor e sexo estão unidos, entrelaçados, cada um exercendo seu papel, mas o amor é eterno e o sexo, passageiro. O amor é eterno, bastando sentir que o amor que embala uma criança é o mesmo que embala um ser na velhice.

Quando há amor, tudo se faz com naturalidade, desde lavar um prato, varrer uma casa, escrever uma carta, fazer sexo, porque o amor dignifica o trabalho. O amor é um sol interior que dá brilho, calor e energia a tudo que a pessoa faz, não importando sua idade, já que é um sentimento do espírito, que não tem pátria nem fronteiras, por ser universal, enquanto o sexo é uma atividade do corpo como outra qualquer, tendo início, meio e fim. Entender isso é crescer interiormente, é encontrar aquilo que une todas as pessoas do mundo: a felicidade, porque todos buscam essa felicidade, embora muitos mal a encontram, deixam-na fugir e continuam buscando, esquecendo-se de que felicidade é paz interior bem distante do egoísmo.

A felicidade não se caracteriza só por uma calmaria na vida do ser humano, por uma vida sem altos e baixos. Ela não está só nos braços da mulher amada, nem somente na conta bancária: a felicidade é uma compreensão interior do ser humano, que o leva a buscar a solução para os problemas que surgem no dia a dia, resolvendo-os ou contornando-os, quando não podem ser resolvidos no momento, do mesmo modo que a água contorna uma pedra e segue seu caminho, quando a pedra está muito agarrada na base. Lentamente, alguns seres humanos vão entendendo isso e o mundo continua com o binômio homem-mulher caindo e levantando, agregando e desagregando, em busca de dias melhores, e, do infinitamente pequeno ao infinitamente grande, do mosquito ao elefante, a luta é constante, já que tudo caminha no mundo, em função da Lei da Evolução, que é obrigatória para o infinitamente pequeno e para o infinitamente grande.

Aquiles Moisés dos Santos
Belo Horizonte, 10 de junho de 2000

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo